Semana intensa no Brasil e nos Estados Unidos, a mistura explosiva de 2021

Vou fazer uma mistura hoje.   O ano promete.

Vamos lá, a questão do ICMS para alimentos e insumos . O governador de São Paulo, João Dória, depois de tanta pressão acabou cedendo e suspendeu  as mudanças no ICMS para alimentos e de medicamentos genéricos e afirmou  que o aumento das alíquotas foi proposto quando a pandemia dava sinais de melhora e agora com a alta dos casos, a situação mudou.

O que faz uma bela pressão de diversas entidades, especialmente do agronegócio. O anunciou não evitou o “tratoraço” que foi realizado pelo interior paulista. A federação de agricultura e pecuária do estado de são Paulo, FAESP,  alegou que o governo atendeu parte das propostas, e que teriam ficado de fora leite pasteurizado e hortifrutigranjeiros, os aumentos no ICMS ainda causam grandes impactos, especialmente para pequenas propriedades. Até a associação paulista de supermercados protestou e  solicita a REVOGAÇÃO  integral dos decretos que subiram o ICMS.

 Vamos para os Estados Unidos, nos últimos tempos temos a grande briga entre saber o que é protesto democrático e o que é um tiro na democracia, o que é grupo manifestante e o que é manifestação antidemocrática, ou vandalismo mesmo. Olha vai levar um tempo para chegarmos a um conceito que seja universal. Porque as ideologias dos dois lados  levam para o extremo do debate, e na prática as vidas só importam dependendo do posicionamento político, se de direita ou se de esquerda. Isso está muito insano.

O que aconteceu nos Estados unidos é condenável, vidas foram perdidas, morreram 05 pessoas, vai muito além de depredar patrimônio público.  Por isso trago para o Brasil quando veio à tona, em protestos recentes, ah  vocês estão defendendo vitrines, não é essa a questão.

Da vitrine quebrada, da invasão a prédios sejam públicos ou privados, vem o crime, vem a perda de vidas.  A democracia requer uma sintonia com a civilidade, e não com a barbárie. Defender qualquer protesto que envolva violência é defender o irracional, é defender o extremismo. Os fins jamais podem justificar os meios. Condenamos totalmente o que aconteceu no Capitólio, as portas foram abertas para os malucos. Nunca se imaginou isso.  Espera-se que nos Estados Unidos os envolvidos sejam punidos de uma forma exemplar. E muitos estão sendo presos, inclusive deputados que automaticamente acabam renunciando ao mandato, diferente daqui no Brasil que político não tem esta coragem quando se envolve em ilegalidades.  E quem invade ou depreda por aqui não tem punição. Cada figura patética saída de um filme de terror ou comédia invadiu o capitólio, aliás nem invasão foi, abriram as portas, mas o resultado foi catastrófico. Esperamos   que aqui no Brasil o conceito de manifestação democrática retire qualquer  tipo de violência como já vimos dos dois lados, cansei de cobrir depredação e invasão com quebradeira no Ministério da Agricultura por exemplo  para ficar no campo agrícola e isso ser reconhecido pela imprensa como protesto democrático. E o banimento das mídias sociais eu acho autoritário, porque quem decide o que é discurso de ódio e de que lado está valendo, porque dentro do contexto a lista de banimento deveria ser bem mais abrangente, tem blog sugerindo o suicídio de Trump.  O aplicativo Parler foi banido, seguidores de figuras conservadoras estão sumindo, quem decido isso? A liberdade de expressão morreu.  O fato é que dia 20 muda o comando nos Estados Unidos. O mundo em ebulição.

Vamos lá ano iniciando quente, e vamos para mais uma safra, o trabalho não para. O ano de paz começou em guerra de extrema política, nada democrática. Eu torço para que este ano os poderes no Brasil sejam respeitados cada um no seu papel e que as reformas tão necessárias avancem sem o dedo do STF  toda hora mexendo com o legislativo e com o executivo, como se fosse um partido político de ocasião. . Mas acima de tudo todos estamos na expectativa de finalmente começar a vacinação dos brasileiros, a pandemia é o grande desafio do mundo atual.

E para finalizar vamos em paz, não posso deixar de falar sobre a boa notícia que pode ser a grande chance  de finalmente termos um Nobel da Paz  no Brasil. Apelo para  tenha um apoio bacana da sociedade brasileira, falo da  indicação do ex-ministro da Agricultura, Alysson Paolinelli ao Prêmio Nobel da Paz de 2021. Entidades, instituições do agro, universidades e profissionais do Brasil e de outros países que, até o próximo dia 31, devem oficializar  a candidatura junto ao Comitê do laurel, na Noruega, entregando o dossiê com os serviços prestados por ele para a revolução da agricultura tropical. Tenho uma admiração mais do que especial por Alysson Paolinelli já comi um franguinho em Minas na fazenda dele.

Uma oportunidade de valorizar o que temos de melhor no Brasil. Até hoje não temos um Nobel, não por falta de capacidade, mas por falta de união, de torcer pelo Brasil, pelos brasileiros que fazem a diferença, e também claro os investimentos em pesquisa e ciência deixam a desejar.   

Marcelo Lara- Consultor de Comunicação